Meu Criador

Meu querido Pai Meu Deus
Meu Senhor… Meu Pai…
Filho Meu Criador…

 

Meu Criador… 

Desponta o dia. A mente se abre e, em direção à tua procura, parte a minha alma.

Ao defrontar-se contigo, toda ela se impregna da tua luz e se inflama do teu carinho.

Elevado acima de tudo o que há na terra, o espírito se transporta, e principia a cantar as tuas maravilhas e a gozar das tuas delícias, porque te vejo através da claridade de minha fé – porquanto todo o meu ser se extasia nos eternos eflúvios da tua bondade.

Quem és tu, meu Criador?

E quem sou eu, tua criatura?

Tu, o único que és e que não foste criado; e eu, no caminho da eternidade, o criado. Tanto que eu desejaria ser teu somente. Mas, como vês, sou apenas isso, assim tão desprovido e pobre, tão apegado às coisas efêmeras da terra. Tanto eu gostaria de ser um pouco mais teu para poder deliciar-me por mais tempo junto de ti, desligado inteiramente do mundo e, dessa maneira, merecer e atrair imensas graças sobre meus irmãos que, longe de ti, tanto sofrem.

Meu Criador! No mais íntimo de mim mesmo, penitencio-me das minhas leviandades. Peço-te que desculpes as minhas fraquezas, para eu poder chamar-te de meu Senhor!

 

Padre Gregório Westrupp, scj

Scroll To Top