Meu Deus

Meu querido Pai Meu Deus
Meu Senhor… Meu Pai…
Filho Meu Criador…

 

Meu Deus

Sim, o meu Deus… santidade – pureza – beleza – caridade peregrina – sabedoria – onipotência – onisciência infinita – eterna!

Um só e único Deus!

A ti somente devo o que sou – tu que me revelaste todos os mistérios da minha fé e nenhum mais inefável do que o da Santíssima Trindade, a própria essência divina.

Meu Deus… eu creio em ti, mas aumenta a minha fé. Eu te amo com todas as forças de minha alma. Porém, quisera ser puro para te amar mais puramente e merecer alguma coisa quando te peço. Tu és minha esperança – eu confio em  ti, mas a minha confiança deveria ser ilimitada porque a tua misericórdia não tem limite. Estende-me a tua mão. Cuida de mim, para que eu não caia e jamais me separe de ti. Dá-me luz e força, para que aquilo de tua imagem e semelhança em mim, nunca se apague nem se perverta.

  1. Varre dos meus pensamentos toda poeira que possa perturbar minha mente e que sobre eles refulja sempre o reflexo de certa alvura divina.
  2. Seja o meu querer o teu querer – uma vontade transparente tecida de bons propósitos, carregada de boas ações e vicejante de retas intenções.
  3. Sejam as minhas recordações  uma prece em espiral, subindo cada vez mais para perto de ti superando todas as provações por mais atrozes tenham sido… e, transformando em doçura, lembranças amargas.
  4. Que eu sinta uma só coisa – o teu amor acima de todas as criaturas e, ao meu próximo como a mim mesmo, porque só assim sentimos estares em nós, quando somos bons.
  5. Resplandeça a tua luz sobre os meus olhos para que eles sejam sempre límpidos, fitos na beleza sublime da tua santidade.
  6. Fale a minha língua, uma linguagem mais espiritual para, em silêncio… e com maior simplicidade, cantar os louvores das tuas maravilhas, bendizer a tua glória e não usá-la para ofender e magoar os meus irmãos.
  7. Ensurdeçam-se os meus ouvidos toda vez que não forem embalados por uma melodia santa, cantando a tua presença suave, mansa e bondosa assim como um Pai ninando o seu filho.
Padre Gregório Westrupp, scj

 

Scroll To Top